Extras


Rapidinha na Despensa do Tio Rô

Escrito por Ayesk@



Terminou minhas férias e retornei do acampamento para casa.
Mal cheguei na sexta à noite e já fiquei sabendo que teria que ir ao churrasco na casa do Tio Rô. Me arrepiei de excitação, há um mês que não transava com Tio Rô e estava morrendo de saudades daquele coroa gostoso e tesudo.
No acampamento havia tentado apagar meu fogo com uma monitora e um rapaz que ajudava na cozinha. Outra hora conto como foi.
Durante o dia fiz várias coisas, pois na segunda, iniciaria as aulas.
Meus pais (compadres do Tio Rô), foram no batizado do primeiro neto dele e o churrasco seria mais no finzinho da tarde em sua chácara.
Cheguei com meus pais que logo estavam entretidos com os familiares do Tio Rô e de sua nora.
Procurei ansiosa pelo Tio Rô e logo o achei sozinho, na churrasqueira num canto da enorme varanda de sua chácara. O olhei por um longo tempo, vendo sua forma descontraída. Trajava uma bermuda branca, regata preta e chinelos.
Tio Rô era um coroa de 50 anos, alto, forte, tinha uma pequena barriguinha de cerveja, bigode e cavanhaque.
Me aproximei dele com meu vestidinho tomara-que-caia verde e de tecido fino, usava uma tanguinha branca e a cada passo a sentia roçando meu reguinho.
- Oi Tio Rô! dei-lhe um beijinho no rosto ficando nas pontas dos pés. Com um braço em minha cintura me trouxe para perto do seu corpo e senti na coxa seu pau duro. Dei uma roçadinha e discretamente ele falou baixinho no meu ouvido:
- Que saudades safadinha... aprontou muito no acampamento? - deu uma cheiradinha no meu pescoço, seu bigode fazendo cócegas.
- Um pouquinho e você? Comeu muitas periguetes enquanto eu estava fora?
- Nenhuma chega aos seus pés, minha safadinha.
De repente ele me soltou e logo entendi o motivo. Sua mulher se aproximava com minha mãe. Eu não entendia o motivo, de Tio Rô pular a cerca se tinha uma mulher tão bonita. Ele havia me dito um dia, que ela não era boa de cama e que só queria o tradicional "papai e mamãe". E ele era tarado demais e curtia muitas outras posições.
Após beijinhos e cumprimentos, Tia Alice (mulher do Tio Rô) me pediu para ir buscar em sua despensa um vidro de azeitonas sem caroços.
A despensa da Tia Alice era um quartinho nos fundos, descendo um caminho de pedras e estava escurecendo. Com toda meiguice, respondi que ia buscar com o maior prazer. Ela me deu a chave e comecei a descer em direção do quartinho. Antes, olhei para Tio Rô que me sorriu de forma sacana.
Ao chegar no quartinho com uma janelinha e uma cortina, abri a porta e entrei.
De repente antes de acender a luz senti alguém entrar e fechar a porta.
- Sou eu, minha safadinha...quero te foder numa rapidinha bem gostosa. Esse seu vestidinho e seu cheirinho me deixaram com o pau duro. - Ele apertou o interruptor e uma luz fraquinha clareou aquele quartinho minúsculo com algumas prateleiras com latarias, vidros e outros produtos.
Senti as mãos do Tio Rô na parte de cima do meu vestido, liberando meus seios e os apertando gostosamente, enquanto seu pau se esfregava na minha bunda e me empurrava de frente para o canto da parede.Coloquei os braços na parede e me abri toda para ele.
- Ahhh... Tio Rô não podemos demorar...
- Fique fria, sua mãe e Alice foram buscar algumas coisas no mercado. E você sabe que a chácara é um pouco longe do mercado...elas vão demorar...
E pressionava seu pau na minha bunda e me segurava os seios apertando-os e bolinando-os em suas mãos.
- Mas e a churrasqueira...humm... Tio Rô que delicia, seu pau está durinho do jeito que gosto.Isso bolina meus seios..mmm...tesão...que tesão...Tio Rô...
- Ah minha safadinha eu disse que ia tirar água do joelho e que ia demorar um pouquinho...fique quietinha agora e me deixe te comer bem gostoso e matar a saudade desse corpo de safadinha tesuda...
Ele me segurava colando seu corpo ao meu enquanto sussurrava sacanagens em meu ouvido. Eu tremia sentindo suas mãos agora levantar a barra do vestido.Ele puxou minha calcinha da minha bunda arriando ela para o lado e escutei o barulho do zíper de sua bermuda. Senti seu pau enorme cutucar minha buceta, que estava toda molhada pelos meus líquidos. Tio Rô respirava rápido, passava sua lingua em meu ouvido e pescoço. Seu pau se alojou gostosamente no meio de minhas pernas e passou a esfregá-lo num vai- vém. Sua glande chegando até o meu grelo.
- Relaxe, tesuda, Tio Rô quer te foder bem gostoso... ahhh... delicia de boceta lisinha e meladinha. Ahhh... garota você me deixa louco sabia? - senti quando ele forçou a glande parando então na entrada minha xoxotinha, enquanto eu ficava nas pontas dos pés. Tio Rô ofegante falava obscenidades em meu ouvido enquanto seus dedos apertavam os bicos sensíveis dos meus seios.
- Relaxe querida, relaxe...e goze... - senti seu pau abrir caminho para dentro da minha xaninha, fazendo-me arfar de prazer.
Gemi descaradamente e pedi para me foder gostoso, que eu era "putinha" dele, cadelinha no cio e que seu pau era muito gostoso.Eu rebolava e sentia suas bolas bater na minha bunda. Ele metia firme e forte, dando bombadas, me fazendo sentir sua glande no meu útero.
Pedia para que eu não gritasse e tive que morder meu lábio inferior enquanto meu corpo balançava para frente e para trás.
De repente ele me virou de frente para ele e me ergueu: me fazendo ficar com as costas na parede, cruzei os braços em seu pescoço, as pernas em sua cintura, enquanto mordia seu pau grosso e duro com meus lábios vaginais. Tio Rô estocava fundo dentro de mim, suas mãos em meu bumbum enquanto urrando de tesão inundou minha boceta. Suados, melados e trêmulos olhamos um para o outro.
- Garota você continua um vulcão e sua boceta apertada e macia...Não vejo a hora de foder seu cuzinho apertado. Agora seja uma boa garota e chupe o resto da minha porra.
Ajeitei meu vestido colocando meus seios com marcas dos apertões do Tio Rô, ajeitei a calcinha sentindo sua porra. Me ajoelhei e lambi todo seu gozo.Minha língua lambendo toda sua porra.
Com um beijo ele se despediu de mim e disse que me ligaria para irmos a um motel. Saí logo depois com o vidro de azeitonas e com a tanguinha melecada com a porra do Tio Rô, mas com um sorriso satisfeito...


Beijos Doces,

Ayesk@



11 comentários:

  1. Bom dia ,Ruivinha
    Que rapidinha deliciosa essa!!!

    Beijos meus





    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oieee ღ MÍÌH..ღ, minha Linda!!!

      Hummm...que bom que gostou!!!rsrs
      Adoro te ler, meu doce!

      bjs doces carinhosos!

      Excluir
  2. A ruivinha me deixa louco
    Esta casa é um espanto
    Onde há de tudo um pouco
    E o sexo abunda tanto!

    Tio rô está bravo
    De tanto prazer com certeza
    Ao lado daquele belo rabo
    Lá está com ele metido na buceta!

    Que delícia deve ser
    Tio Rô fica maluco
    Na safadinha a meter
    Seu toro sempre duro!

    Boa quinta-feira
    para todas as meninas
    beijinhos
    Eduardo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uia!!!

      EduManes, adoro seus comentários...sempre rimando!!!
      Queria poder escrever assim...
      Mas, obrigada pelo carinho! Essa ruivinh@ fica muito feliz!!!
      Mega Sexta-feira Genial, Fenomenal e Piramidal!!!

      Beijos doces!!!

      Excluir
  3. Respostas
    1. Jana & Renato, obrigada pelo carinho!
      Que delícia lê-los aqui!!!

      Bjs doces!!!

      Excluir
  4. Essa sabe se divertir! Não perde tempo nem oportunidade, grande garota rs

    Beijos suculentos

    ResponderExcluir
  5. kkk Ela é Fogooooooooo!!!kkk
    Beijos doces, Maninh@ e Carpe Diem!!!Hoje é sexta-feira, meu dia preferido da semana!

    ResponderExcluir
  6. Sensacional esse conto..Adorei rsrsr

    ResponderExcluir
  7. Oiee Deisinha, obrigada pelo seu carinho!
    E fico contente que tenha gostado do conto.

    Beijos doces carinhosos e uma semana genial, fenomenal e piramidal para voce!

    ResponderExcluir
  8. OI AYESK@ ADOREI O CONTO...MEXEU COM A MINHA IMAGINAÇÃO.
    SÓ FALTOU UM DETALHE...UM PEQUENO! EU DEVERIA ESTA ALI.

    BJOSSS ANJO DOCE

    ResponderExcluir

As moradoras da Casa de Anita, deliram de prazer com o seu comentário...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...