Extras


É NO ESCURINHO DO FUNDÃO DO ÔNIBUS QUE ACONTECE!!!



Eu nunca pensei que isso fosse acontecer comigo algum dia, era quinta feira véspera do feriado de finados desse ano,quando estava na rodoviária,para ir à Capital, visitar meu irmão e meu sobrinho.

Enquanto esperava o ônibus, conversava no notebook com minha amiga Nitinh@, pelo Chat do Google, ela estava me dando uma Ótima Noticia que fiquei tão feliz, que comecei e rir nervoso, de repente me senti sendo vigiado por alguém.

Quando olhei pra o meu lado direito, alguns metros de onde estava, tinha um rapaz lindo, devia ter seus 25 anos, e me olhava, e quando o percebi, ele ficou me encarando, me senti um pouco incomodado.

Depois de me despedir de minha amiga, pois o ônibus tinha chegado, desliguei o notebook, e coloquei-o dentro da mochila, me levantei para ir comprar algo para comer e beber, pois o mesmo tinha chegado atrasado, e como eu tinha chegado muito cedo, a fome já batia.

Enquanto eu andava em direção ao quiosque que vendia lanches, olhei para trás e vi que o cara continuava a me olhar. Fiquei com um pouco de medo, não nego, afinal o que ele queria comigo, de duas, uma: ”Ou ele queria me assaltar, por ter me visto usando o notebook, ou ele tinha ficado afim de mim”.

Não nego, apesar do medo, mais o cara era um tesão,moreno cor de jambo,olhos castanho escuros,meio puxados,usava apenas cavanhaque,e estava vestindo uma camiseta regata vermelha,e um short de futebol,do São Paulo,seus braços eram bem torneados,e tinha umas pernas lindas,grossas e com pêlos negros,não em excesso,mais digamos que alinhado a pele.

Enquanto eu pagava o refrigerante e o sanduíche que tinha comprado, ele sorriu pra mim, fiquei mais intrigado com isso, onde já se viu uma pessoa que nem me conhece sorrir pra mim, assim, do nada?!Pensei comigo: ”Ele deve está me confundido com alguém, só pode ser”.

Começaram a chamar os passageiros para o ônibus que ia pra Fortaleza, Fui correndo feito um louco, desci a rampa, e vi quando ele levantou e veio em direção pra rampa também, pensei novamente: ”Será que ele vai pra Fortaleza?” Obvio, fui entrar no ônibus e fui barrado pelo motorista, que disse que não poderia entrar consumindo nenhum tipo de alimento, fiquei com raiva, pelo mico que paguei.

Enfim ele chegou, entregou suas três bolsas pra o cara pôr dentro do guarda bagagem, e mais uma vez, sorriu pra mim, terminei de comer e beber rapidamente e entrei no ônibus.

Não tinha muitos passageiros, no máximo umas 20 pessoas, entre homens, mulheres e crianças. Minha poltrona era bem no meio, e ficava na janela, alojei minha mochila na parte superior, e me sentei,Logo em seguida vi quando o cara se levantou,estava lá nas ultimas cadeiras, como não tinha muitos passageiros, e tinha muitas poltronas vagas, suspeito eu, que ele tenha ido pra trás, pra ficar mais a vontade, se é que estão me entendendo.

Quando olhei, ele se levantou, e mais uma vez olhou pra mim e sorriu, e foi em direção ao banheiro. Fiquei curioso demais quase a ponto de ir pra perto dele, mais resolvi me aquietar, não queria arrumar confusão dentro do ônibus, e poderia ser também que ele quisesse apenas fazer bagunça.

Alguns minutos depois eu o vejo sair, o ônibus começou a dar sinal de partida, e logo às luzes foram apagadas, o ar condicionado ligado e também ligaram a TV em um filme muito chato, dei graças a Deus que por enquanto dava pra ficar usando o notebook, liguei novamente, coloquei o fone de ouvido e fiquei vendo alguns vídeos no You Tube, mais não tirava da cabeça o cara que estava no final do ônibus, nas ultimas poltronas.

Tentei não ficar pensando no cara, afinal queria mesmo era curtir a viagem, não estava a fim de ficar com ninguém. A viagem já tinha mais ou menos duas horas e meia de percurso, e eu já começava a ficar com muito frio, devido o ar está muito gelado, percebi que todas as demais pessoas já estavam dormindo, inclusive as crianças, desligaram a TV, e dava-se apenas pra ouvir o barulho das pedras na estrada.

Senti uma imensa vontade de ir ao banheiro, me levantei e aproveitei que estava de pé e peguei meu moletom dentro da mochila, me vesti e fui em direção ao banheiro. Quando ia me aproximando das poltronas finais, vi que ele estava à vontade,digamos,que, ele estava todo esparramado nas duas poltronas, estava mexendo num tablet, ele estava sem camisa, e mesmo com todo o ônibus no escuro, dava pra ver como ele tinha um corpo perfeito, um peitoral muito lindo, tinha tirado a camiseta regata. E estava com fone de ouvido, olhei pra ele e vi seu tórax e abdômen definido, tinha uns pêlinhos que iam direto pra o caminho da felicidade, “para a minha alegria”, e no colo do peito também.

Entrei no banheiro, tentei mijar e não consegui,devido o balançar do ônibus na estrada cheia de pedras,meu pau tava duro,e a sensação de querer mijar me deixava estressado.

Sai de dentro daquele cubículo com dor no estomago e com raiva, quando o reparei olhando pra mim. 

Foi quando tivemos o primeiro contato, ele falou comigo.

Sua voz suave, rouca numa tonalidade possante e viril, fez o meu estresse passar, mais não esquecer de vez a vontade de urinar. Ele me deu boa noite, e me perguntou se eu estava indo pra Capital, falei que sim, que estava indo visitar meu irmão e  sobrinho. Como eu já estava cismado com ele, de tanto ele me olhar, perguntei o porquê dele ter me olhado tanto, ele muito carismático, me pediu desculpas, e se apresentou sendo Rafael, e disse que eu lembrava alguém que ele tinha conhecido há alguns anos.

Falei meu nome, e ele me chamou pra sentar lá, falei que não estava conseguindo sentar por que estava apertado, ele riu, e disse que também acontecia com ele, mais ele tinha outra tática, que sempre dava certo, perguntei qual, e ele disse, que para conseguir mijar,ele sempre batia uma,e deu uma pegada no pau,apertando bem a ponta da cabeça e depois segurou firme toda a base.

Tremi por dentro ao vê-lo fazer isso, passei a língua nos lábios, e ele entendeu o recado, perguntou se eu estava folgado lá no meu lugar, falei que sim, então ele muito safado, me chamou pra fazer companhia a ele, falei que seria um prazer ficar conversando com ele, jogando conversa fora, mais enquanto não conseguisse mijar,não ia ficar quieto.

O safado sorriu e me perguntou se eu queria ajuda, como todo mundo sabe, nós que somos gays, sabemos quando o outro é também, digamos que nosso Sensor “Gaydar” como diz um amigo meu, alarma e a gente sabe no ato, e foi o caso dele, ele ligou o Bluetooth do Gaydar dele e me percebeu, eu já estava ficando excitado mais ainda, tanto com a vontade enorme de mijar,quanto pela proposta mais do que indecente que ele estava me fazendo.

Perguntei como seria a ajuda, e ele falou que estava querendo mijar também,e que se eu aceitasse,poderíamos bater uma punheta juntos,daí quando ficássemos perto do gozo,a gente ia pra o banheiro e depois da gozada era só soltar o mijão,e ele estirou a mão em comprimento,apertei sua mão e logo fui puxado para sentar ao seu lado.

Rafael, perguntou se eu topava bater uma punheta nele, sorri meio nervoso com a situação, até por que minha mão tava muito gelada, pelo frio,e pelo tesao que sentia,falei que topava,passeei minha mão no peito dele, alisando o tórax e abdômen, ele se recostou na janela e me deixou acariciá-lo melhor, de repente ele me puxou e me deu um beijo, gostoso, sua língua quente e úmida procurava por minha língua, e dava pra sentir sua excitação cada vez maior, pois meu corpo pequeno ficava de encontro com seu pau já muito duro dentro do short, como ele estava sem cueca, puxei pra fora e enquanto beijava-o, masturbava-o lentamente, ele também já tinha desabotoado minha bermuda e aberto o zíper, e puxado meu pau também pra fora da cueca, ele apertava meu pau na mão dele, e sem querer, gemi um pouco alto, e ele sorriu entre minha boca.

E disse sussurrando em meu ouvido:

-Cuidado, meu caro, quer que sejamos despejados do ônibus nesse escuro que está lá fora??

E nisso, ele mordeu minha orelha, e roçou seu cavanhaque me minha nuca me deixando arrepiado, me contorci pelo caricia e falei baixinho que não,desci um pouco e lambi seus mamilos,e fiquei chupando-os,ele fez minha cabeça descer mais,e acabei parando no piso do ônibus,lambi seu umbigo,e puxei seu short para baixo,e comecei a chupar lentamente a cabeça,mordiscava,e ele se contorcia pelo tesão que sentia, comecei a mamar com mais vontade,engolia toda a base do pau até chegar próximo dos ovos,era um pau reto,e grosso,provavelmente deveria ter uns 19 cm.
Ele me puxou pra cima, e disse que se eu fizesse aquilo de novo ele iria acabar gozando na minha boca, sorri e beijei puxando os lábios dele, e perguntei:

-Não é essa a nossa intenção??Gozar??

Ele sorriu, e disse que sim, mas, que queria provar de mim também, e se agachou, e começou a me chupar também, enquanto ele chupava meu pau, e eu me contorcia na poltrona, segurando forte o encosto, devido o prazer que me era dado, ele começou a cutucar meu cuzinho com um de seus dedos, eu segurava forte sua cabeça contra meu pau, e fazia-o mamar com vontade, depois puxei sua cabeça pra cima e beijei-o, e fui pra o chão no lugar dele, voltei a chupá-lo com vontade, queria que ele gozasse em minha boca, e sabia como fazer.


Já começava a sentir calor, tirei o moletom, e a camiseta, e ele começou a apertar meus mamilos, me deixando com muito mais excitação do que já estava, comecei a lamber os ovos dele e puxar pra baixo, mordendo, e ele gemia baixinho, colocando a minha camisa na boca pra não gemer alto, novamente ele me puxou pra seu colo, e disse que tinha ânsia de me fuder, que queria me comer ali, nossa, meu tesão foi a mil.

Ouvindo isso, beijei seu pescoço e perguntei se ele tinha camisinha, ele disse que sim, e foi logo pegando dentro da carteira que estava no porta lixo,(risos)ele me deu pra colocar a camisinha nele,e coloquei com a boca,deixando ele louco de prazer,pela sensação,depois sentei no colo dele,e ajeitei seu mastro na entrada de meu cuzinho,fiquei forçando pra baixo,até que foi me invadindo por completo,era muito gostoso senti-lo entrar lentamente dentro de mim,comecei a cavalgar lentamente,dentro dele,enquanto ele me beijava,e chupava de vez enquanto meus mamilos,eu sentia,medo,prazer,tesão,tudo junto,já tinha ate esquecido a vontade de ir ao banheiro.


Rafael, me fez sair de cima dele, e me levou pra o banheiro, chegando lá, ele me fez ficar de costa pra ele, olhando pra janela, via apenas matos, e mais matos, diante de todo aquele escuro, ele começava a bombar com mais força, tirava seu pau todinho de dentro de mim, e enfiava de vez, olhei pra trás e disse a ele que queria mijar,e ele sorriu,me virou pra privada,e segurando meu pau,me ajudava a mijar,enquanto ele me fodia lentamente.

Pra mim foi uma sensação muito prazerosa, consegui em fim fazer xixi, e ele segurando meu pau ainda duro, me punhetava, nossos corpos estavam molhados de suor, dentro daquele cubículo,quando ele anunciou em meu ouvido que estava prestes a gozar,eu estava com uma das pernas levantadas, para facilitar a penetração, e virei pra ele e disse que queria que ele me desse seu leitinho, ele mais do que depressa, tirou o pau de dentro de mim, jogando o preservativo pela janela, e me agachando no meio de suas pernas, voltei a mamá-lo, seu pau estava mais grosso, a cabeça pegava fogo, e ele começou a foder minha boca,como se estivesse comendo meu cuzinho,e suas pernas começavam a tremer, seu suor pingava sobre meu corpo, e ele gemia baixinho, pedindo que eu não parasse que ele já ia gozar, e gozou, na minha boca, foram seis jatos, de porra, quente e grossa, engoli tudinho, como um bom boy safadinho que sou.


Eu ainda insistia em continuar mamando ele, mesmo seu cacete voltando lentamente ao normal em minha boca, ele ainda tremia devido o espasmo do orgasmo, e me puxou pra cima, me beijando, e dizendo que agora era a vez dele de mijar,que eu ajudasse ele,a segurar o pau.

E claro, ajudei com todo prazer, depois dele mijar,balancei seu pau,e saímos lentamente.Quando chegamos na poltrona,ele me fez gozar também em sua boca,e depois adormecemos.


Acordei atordoado por volta de umas 6h da manha, quando o ônibus tinha parado,ainda não era na rodoviária, mais eu estava sozinho, na poltrona, e em cima de mim, tinha um bilhete com o nome e o numero dele, dizendo que tinha amado viajar comigo, e que eu entrasse em contato com ele, por que éramos da mesma cidade.

Bem,ainda não liguei pra ele,não tive coragem,mais que escrevendo o conto,me bateu uma imensa saudade dele..Relembrando tudo que aconteceu...
Espero que tenham gostado do Continho Especial pra Casa

Beijos a todos (as)

Direitos autorais reservados. Proibidas sua reprodução, só com autorização do autor #.  Lei: 5988 de 1973

Ass: ™Belfort Simon   O Boy Safadinho®

12 comentários:

  1. Brigado Jana,pelo Carinho...

    Beijos Safados Do ™Boy

    ResponderExcluir
  2. E eu que havia pensado que estava nervoso devido a conversa que nós dois estávamos tendo...era pq esse gostoso ai estava te olhando kkkkkk

    Olha não sabia desse truque masculino pra fazer xixi kkkkkk mas pelo jeito resolve e muito bem né? kkkkkk

    Quer mesmo saber se eu gostei? Não! Sabe pq? Pq queria que tivesse me contado antes kkkkkk Me deixou sem saber de nada, isso não foi justo!!!

    Seja muito bem vindo a casa, já sei que se apossou de um quarto e está atacando nossa geladeira kkkkkkkkk

    Começou com o pé direito e estou muito feliz em ler-te aqui, ainda mais assim no escurinho lá no final do ônibus...em pensar que estávamos nos falando horas antes...acho que te dei sorte kkkkkk

    Agora pega logo esse tel e liga tá?

    Beijos suculentos,
    Nitinh@

    ResponderExcluir
  3. Maravilha!!!

    Isso já aconteceu comigo...

    ´Tudo mais gostoso agente imagina que alguém pode nos vê. Aquela ansiedade!!!
    Muito bom...nossa me fez voltar a belos momentos da minha vida.
    Realmente é no fundinho no final do ônibus!!!
    Delícia!!!

    Parabéns pelo poste!Sabia que chegaria com a corda toda Boy
    Bjsss

    ResponderExcluir
  4. Miguxooo...
    Olha só! A sua manusk@ não sabia desse sensor "Gaydar" não!!!rsrs

    Achei MQTDB!!!rsrs

    Arrasando como sempre!!!rs

    bjs doces da sua Manusk@ Miguxa!!!

    ResponderExcluir
  5. Nitinha,num podia Contar nao...kkkkkkkkkkk...
    espero que esteja mais do que perdoado rsrsrsrs
    pois éh Menina,fiquei com medo,por isso que nao lhe falei nada...kkkkkk
    mais depois foi so alegria dentro do Busú...rsrsrsrs,e sobre a Geladeira...
    huuuuummm,encontrei o que mais gosto la dentro...kkkkkkk...
    LEITE MOÇOOOOO....peguei uma caixinha,e algumas bananas... e me deliciei tanto...vc nem imagina o quanto...Nosssssa a cada dia que passa nessa casa,fico mais Apaixonado por tudo e todos (as) aqui presentes...Bjok@'s Miguxinh@ Lindaaa

    ResponderExcluir
  6. A.B.T...
    -É bom né essas loucuras no fundão do onibus...rsrsrs.
    adoro esse tipo de Fantasia...

    e muito obrigado pela Receptividade,e outros continhos virão por aqui!!!

    Beijos Safadinhos do Boy

    ResponderExcluir
  7. Muitissimo Obrigado Manusk@...
    pois éh existe esse Sensor...rsrsrsrs...e
    vc é Suspeita né ??kkkkkk
    Bjus Manusk@ e Muito Obrigado novamente!!!

    ResponderExcluir
  8. Filhote!

    Será q tem ônibus assim aki no Rio, rs

    Bjk@s

    ResponderExcluir
  9. Não sei,Mama,deve ter Sim...kkkkk...rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  10. Seus textos são uma delicia hein!Adorei

    ResponderExcluir
  11. Que Bom que gostou desse tb...
    Sou uma Caixinha de Surpresa...
    Deisinha...rsrsrsrs...e Brigadinho pelo Comentario,Amavel...
    Beijo Safadinhos Do Boy

    ResponderExcluir

As moradoras da Casa de Anita, deliram de prazer com o seu comentário...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...